segunda-feira, abril 14, 2008

No limite

Caras/os colegas, estamos no limite da validade do certificado de admissibilidade e ultrapassamos já a validade do número de contribuinte provisório. Isto apesar de ter chamado várias vezes a atenção para este facto e para a necessidade de marcar a escritura.
Das duas uma: ou marco eu a escritura e convido alguns colegas para comigo serem fundadores - hipótese que não me agrada -, ou então alguém se mobiliza para comigo acabar com esta "agonia".
Como já disse, não pretendo ser mais do que fundador da Associação, mas se entenderem que não vale a pena também não serei eu a tocar isto para a frente.
Chamo a atenção que sou fiel depositário da verba recolhida no jantar e caso isto vá por água abaixo teremos de encontrar um meio de devolver o dinheiro às/aos colegas.
Fico a aguardar. Se me quiserem contactar por telefone, peçam-no à Daniela, Matos ou Vasconcelos.

quinta-feira, dezembro 27, 2007

Marcação da escritura

Caras e caros colegas, com a recepção do registo do nome poderemos e devemos marcar a escritura da Associação. Aquele documento tem 3 meses de validade; assim espero que no início do ano nos punhamos de acordo quanto à data e aos termos deste acto.
Outra coisa: é bom que comecem a pensar nos e nas colegas que vão fazer parte dos órgãos sociais. A minha parte estará concluída com a celebração da escritura.
A bola está agora do vosso lado.

Abraço e um óptimo 2008.

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Comentários aos comentários

Acontece que quando vinha aqui dar a novidade que já temos oficialmente nome, deparei-me com o Jorge Valdoleiros e a Graça comentar o meu post anterior. Vai daí vou comentar os comentários anteriores a esse post.

O Célio quer que eu digitalize as fotos; vou tentar e ver o que dá, mas penso que não vai ser muito visível; veremos; se não der, Célio, telefona que eu empresto-te as fotos para ver se fazes melhor;

A Graça andou com a minha irmã em 73? Hum... não creio, pois nessa altura já ela não andava no Marco. Deve haver algum a dúvida, não? Ou serei eu que estou errado?

Um abraço para o Jorge Valdoleiros, ainda me lembro que tinhas uma grande sorte: eras muito querido pelas miúdas da turma B. Era assim, não era? Eh, pá, não faltes ao próximo jantar!

Quanto à Associação: já temos nome registado no RNPC e agora vai transitar para o advogado fazer o resto. Como sabem a direcção da Secundária deixa ser, ou melhor, tem todo o gosto em que seja lá a nossa sede.
Já agora, publiquem mais fotos dos jantares e outras.

terça-feira, novembro 20, 2007

JANTAR ANUAL 2005

A pedido da Maria João Teixeira, publico algumas fotos do jantar dos "Antigos Alunos da ESMC de 2005"...
A minha gratidão MJ por continuares a ajudar a manter vivo este blog.

Aqui vão elas...

quarta-feira, outubro 31, 2007

1973

Quando li o post do Célio sobre os painéis, eu que também trabalhei neles, lembrei-me de imediato do professsor de Trabalhos Manuais que teve a idéia e a levou à prática, o Prof. José Luís. Nunca mais o vi desde a altura que deixou o Marco. Nessa altura creio que também andava por ali a Arquitecta Emília, que vejo de vez em quando, e a Prof. Gilda que veio no mesmo ano para o Marco com a Emília e não mais a vi.
Os professores que passaram por aquela casa foram quase todos inovadores à sua época. O Prof. José Luís também, pela forma como punha os alunos a trabalhar e os motivava.
A sala de Trabalhos passou a ser um local onde íamos quando tinhamos tempo livre. Contígua a ela ficava o campo de básquete. Há dias a falar como Anselmo da Estação recordava ele a equipa de basquete tivemos. Foi uma época de introdução de outros desportos que não o futebol. Gostava de poder refazer aquela equipa, o problema é que já não me lembro da maior parte, o que recordo são o Jorge Valdoleiros, o José Carlos e o Fernando ambos da Barragem e eu. Como ainda faltam alguns, se se lembrarem digam para recordar e fazer um joguito, quem sabe... bom de certeza que eu já não sei pois desde então rarissimas vezes joguei basquete.
No último jantar levei dua fotografias, uma do 3º ano, o meu, e outra dos 3º, 4º e 5º anos. Se alguém quiser digitalizar eu cedo-as.
Corria o ano de 1973.

quinta-feira, outubro 25, 2007

A Associação já mexe!

É verdade, vamos finalmente poder celebrar a contituição da nossa Associação. E desde já com uma surpresa: um colega nosso, também ele sócio-fundador, sensibilizado com este facto, doará uma verba de 3.000,00€, bienal, que se detinará a ajudar quem quiser prosseguir os estudos univeritários e tiver carências de ordem financeira. Fá-lo em memória de sua mãe e de uma forma anónima. Já está garantida verba para os quatro primeiros biénios e se a vida lhe correr bem, talvez mais!
Será competência da nova direccção regulamentar este prémio, mas é sem dúvida um bom começo para todos nós.
Parabéns e obrigado.

quarta-feira, outubro 24, 2007

JANTAR ANUAL 6

Obrigado CR, pelas tuas explicações (pena que não as tenhas colocado aqui neste blog), mas já entendi...
Tomei a liberdade de copiar fielmente o teu texto e reproduzi-lo aqui, pois este é o local próprio, para se falar do que á ESMC e seus antigos alunos diz respeito.
Cumprimento o Prof. Rocha Marques, que há muitos anos não vejo e por quem nutro uma grande admiração e boas recordações.
O meu veemente lamento, vai para "Os antigos Alunos" que estiveram nesse jantar e o transformaram nessa "história" que nos relata o CR.
Pena que não hajam fotos, para que os "ausentes" possam rever alguns dos colegas do passado.
Um abraço

PUBLICADO NO "TERRA DO MATA E QUEIMA" - 1

A ideia de criar uma associação dos antigos alunos da Secundária do Marco tem, pelo menos, dois anos. Foi falada, uma vez mais, no jantar do ano passado. Artur Melo tomou a iniciativa de avançar com um projecto de estatutos, de que nessa altura deu conta.
Ninguém colocou quaisquer reservas, a não ser aqueles típicas de um jantar-convívio. Foi tacitamente mandatado Artur Melo para reunir um grupo que fosse outorgar a escritura de constituição da associação, que teria, entre outros o objecto de apoiar ex-colegas em dificuldades, ou apoiar actuais alunos que se destacassem, mas que não tivessem meios para prosseguir os estudos. Por outro lado, incumbiram-me de construir um blogue, onde pudéssemos ir falando uns com os outros. No dia seguinte o blogue estava criado - A Idade da Inocência -, que não teve a adesão que se previa, mas ainda existe.
Sobre a associação, foram escritos alguns posts no blogue. Em determinada altura, Artur Melo explicou que para constituir a associação era necessário pagar cerca de 500 euros. Tenho quase a certeza de que escrevi um comentário a sugerir que os que fossem outorgar a escritura entrassem com o dinheiro, que seria cobrado no jantar que houvesse a seguir. Procurei, mas não encontro o comentário. De qualquer modo, estou certo de que cheguei a dizer isso mesmo, pessoalmente, a Artur Melo.
*
No último jantar, brincando com os da minha mesa (o Azevedo, a Ludovina, o Ismael, a Olga, o Zé Carlos Pereira, O Zé Mota, a Lúcia e o Quim Mota), eu questionei: «Então o Artur não fala? Tenho que o pôr a falar...» E, olhando para a mesa de trás: «Ó, Artur, e a associação?» Ele fez-me um sinal para aguardar.
Já antes tinha brincado com outros assuntos. Quando apareceu um músico a tocar concertina, brinquei: «É, lá, se o presidente da Câmara passa lá fora e ouve música, está já aí...» Alguém me explicou que o presidente não andava pelas imediações, até que, por mero acaso, acabei por descobrir que ele estava nesse preciso momento a discursar num jantar em sala próxima. Voltei a brincar: «Bem, se ele ousa vir cá sem ser convidado, acho mal. Se ele sabe que nós estamos aqui e não se digna vir cá cumprimentar os ex-alunos da Secundária, também acho mal». Estava a ser divertido o jantar, como se vê. Boa disposição em todas as mesas.
O assunto da associação acabou por ser introduzido pelo nosso ex-professor, Dr. Rocha Marques, que explicou o objectivo. A seguir, o Artur Melo retomou o tema. Quis colocar o assunto à discussão. Como achei que o assunto já estava mais do que debatido e tive um vago pressentimento de que ia haver borrasca, sugeri que se passasse de imediato à votação. Vi rostos cerrados. Nesse momento, percebi que AM deveria ter arranjado uma justificação para não continuar à frente do projecto, o que, atentas as circunstâncias, se teria revelado mais avisado. Nesse momento, Quim Mota pediu para falar, para dizer que seria bom que fossem lidos os estatutos antes de votar. Ainda tentei explicar ao QM (ao meu lado) que esse assunto já tinha sido debatido. Mas já não valia a pena. Do sítio onde estava não conseguia ver, mas percebi que várias pessoas aplaudiram QM.
Artur Melo ficou um bocado atarantado e respondeu a Quim Mota. Em tom cordato, mas que já reflectia a crispação. O Dr. Rocha Marques decidiu intervir para tentar recentrar o assunto. QM disse que retirava o que tinha dito, mas o Dr. Rocha Marques - que saiu logo de seguida, não sei se por causa do diferendo - cortou para dizer que, retirando ou não o que fora dito, várias pessoas o tinham aplaudido.
A proposta foi a votação, ninguém votou contra, mas houve uma meia-dúzia de abstenções. As pessoas começaram a contribuir, mas houve mais algumas - para além das que se tinham abstido - que também não contribuiram.
O mau-estar estava completamente instalado. O que foi mau. De um momento para o outro, a criação da associação tinha-se transformado num assunto político. Artur Melo é, como se sabe, líder do PS-Marco. E tem oposição interna. E é oposição ao actual poder autárquico do PSD. Curiosamente, foram precisamente as pessoas que, por um ou outro motivo, não estão com Artur Melo, que, ou se abstiveram, ou não contribuiram.
Os factos são estes - sujeitos a contraditório, como é óbvio. Não tiro conclusões. Deixo-as para quem ler estas palavras. A única conclusão que posso retirar, é que cada vez tenho menos paciência para estas coisas. E duvido que volte a brincar com elas, não vá ainda alguém zangar-se por falta de sentido de humor.
Marcadores:

Publicado por JM Coutinho Ribeiro em
23.10.07

terça-feira, outubro 23, 2007

Jantar 2007

Fiquei com imensa curiosidade em saber o que se passou no jantar do passado Sábado. Quem tem a coragem de explicar? Não colocam fotos?

PUBLICADO NO "TERRA DO MATA E QUEIMA"

Tenho pena, mas não consigo aceitar de bom grado que mesmo as mais pequenas coisas se transformem em armas de arremesso político. E tenho pena que o arremesso político se transforme em lutas pessoais.. E tenho pena que os actores políticos não saibam quando é o momento de se colocarem de lado, para não suscitarem leituras perversas. Enigmático? Talvez. Mas tudo para dizer que não correu bem o jantar dos ex-alunos da Escola Secundária do Marco, sábado passado. Claro que ninguém andou às turras, que a coisa passou, mas é importante que se salvaguarde o essencial da iniciativa. Como é óbvio, que ninguém pense que eu vou estar sequer no acto de formalização da associação dos antigos alunos - apesar de a ter defendido e de ter contribuído -, que é o que parece ter criado confusões. Mas quero dizer ao José António, à Daniela e ao Morais que podem contar comigo para o verdadeiro espírito académico. Por isso, meus caros, se no próximo ano precisarem da minha ajuda para organizarem o jantar, contem comigo. Porque, da próxima vez, não quero voltar para casa com a sensação de que o espírito se perdeu.
.
PS: as próximas eleições autárquicas no Marco, a avaliar pelo que vejo, vão ser muito engraçadas. Posso comprar já bilhete para assistir?
.
Marcadores:

Publicado por JM Coutinho Ribeiro em
22.10.07

JANTAR ANUAL 5

Será que haverá alguém que partilhe aqui, as "histórias" deste jantar, com aqueles que por imperativos inadiáveis não puderam estar presentes ?
Espero que sim.
Um abraço

quinta-feira, outubro 18, 2007

Jantar anual 4

Inscreveram-se 58 antigos alunos para o jantar.

sexta-feira, outubro 12, 2007

PAINEIS COM 35 ANOS...


Cada vez que passo, frente á antiga Escola Preparatória Conde de Samodães, que outrora fora também Externato de Marco de Canaveses e hoje uma Escola EB...qualquer coisa, sou acometido de alguma nostalgia, que me faz recordar os meus primeiros passos no ensino preparatório e as minhas primeiras viagens sózinho, fora de Soalhães.


E cada vez que passo, as recordações surgem em catadupa. Das mais hilariantes, ás mais dramáticas... (aliás, no inicio deste blog, muitos foram os que sugeriram que este espaço fosse um lugar de troca de "recordações" dos antigos alunos)
Mas a ideia não vingou e mesmo o próprio blog, quase sucumbiu, não fora a persistência de alguns teimosos.
No meio de todas estas recordações que me assolam a mente cada vez que por lá passo, há sempre uma que me faz sentir um "arrepio" especial, por ter sido um dos obreiros dessa "obra de arte" e que são aqueles paineis de azulejos,(que acima retrato) e que no meu 1ºano do Ciclo eu e um numero indefenido de outros "artesãos" que muito gostaria de recordar o seu nome, trabalharam afincadamente durante meses (??) nas aulas de "trabalhos manuais"...

Como se pode ver pela foto ao lado de pormenor dos referidos paineis, estes datam do ano lectivo de 1972 / 73, ano em que ingressei no Ciclo Preparatório. Ainda existia o Externato de Marco de Canaveses e a então já, Escola Preparatória Conde de Samodães.
Como disse, não me recordo quem comigo, trabalhou com afinco nestes paineis, mas que passados 35 anos, me dá muito gozo olhar para aquele edificio com aquele destaque e dizer ao meu filho, "eu também colaborei na execução daqueles paineis", ai isso dá.
Aos que tal como eu trabalharam naqueles paineis e sentem o mesmo que eu, quando por lá passam, porque não aparecerem por aqui para contarem outras histórias e até falar deste mesmo assunto?
Ficamos todos á espera...
Um abraço


quarta-feira, outubro 10, 2007

TAMBÉM O JOSÉ ANTÓNIO...

Parece que isto começa a animar. A ideia das fotos da Graça, começa a dar frutos... será que podemos considerar que este blog já saiu de "coma"? Acho que sim...manter-nos-emos atentos á recuperação.
E foi com agrado que recebi o mail que a seguir transcrevo na integra do José António, que desconheço, mas que basta ser ex.aluno para ser benvindo. Um abraço caro José António pela tua contribuição na identificação dos "fotografados" e enviar-te-ei um convite para seres mais um contribuidor deste blog, com as tuas memórias da ESMC.

Ola! Também sou um "antigo" aluno da ESMC, mas não tão antigo que tenha estado na fotografada viagem de 79 "aos algarves". Contudo, atrevo-me a dar uns palpites para decifrar o código dos fotografados. Julgo que estão nas fotos, para além dos já identificados: - a Fernanda Coutinho, a Adriana Macedo, o Leitão e o Gouveia. Como sou novo nisto dos blogs e não domino as técnicas, resolvi enviar este mail para o endereço do administrador. Um abraço
Jose Antonio

jantar anual - 3

Este ano parece que ninguém está interessado no jantar, ou é o tipicamente português de se inscreverem no último dia?
Relembro que as inscrições terminam no dia 17, e que o jantar é no dia 20 de Outubro.
Contactos: 960083910, 919591068 ou antigosalunosdomarco@gmail.com

terça-feira, outubro 09, 2007

EU TAMBÉM ESTAVA LÁ...

"Ao ver uma das fotos abaixo, alguma coisa me pareceu familiar. Procurei e encontrei esta fotografia minha, no mesmo palco a fazer sabe-se lá o quê. Presumo que a dizer poemas, coisa para que me dava nessa altura. E, por falar nisso: em que ano foi? Teria eu por aí 13, 14 anos? Sei que foi no velho cinema dos bombeiros, que havia uma cortinas muito grossas - verdes, creio - que havia um buraco do "ponto" que dava jeito por vezes - não interessa para quê".
(Coutinho Ribeiro)


Esta foto, título e texto acima, foram enviados pelo nosso amigo Coutinho Ribeiro, que solicitou a sua publicação.
Em meu nome pessoal, como administrador do blog e certamente em nome de todos os que aqui vão passando, os mais sinceros agradecimentos por esta partilha, que vem enriquecer e animar este espaço. Bem hajas CR.
Um abraço

domingo, outubro 07, 2007

PASSEIO FINALISTAS 1979 - VILAMOURA


Resolvi seguir o conselho da Graça : "se todos contribuírem com 2 ou 3 fotos já seria interessante e estou certa que o blogue iria animar". Talvez seja uma forma feliz de revivermos bons momentos do passado, que marcaram certamente a vida de todos nós. Pus mão á obra e comecei a procurar no baú esquecido no sotão e de lá saíram estas fotos, que testemunham o passeio (as férias) de finalistas, realizado de 01 Abril a 07 Abril de 1979. Para quem teve o privilégio de viver esta aventura, viajando num autocarro da Escamarãotour, até Vilamoura, jamais esquecerá estas férias fantásticas, na Aldeia do Mar, hoje em adiantado estado de degradação como ainda pude testemunhar esta semana no local. Dos que lá estiveram como eu, quem não recorda as noites bem passadas e mal dormidas ? Já passaram quase 30 anos, esqueci a maioria dos nomes destes amigos. Já só consigo lembrar na 1ªfoto do lado esq. o Moura, lá trás creio que o Caria e na frente do grupo o António Coutinho. Na 2ª foto, eu próprio de casaco azul e á direita o Cândido de V.B.Quires. Na 3ª foto, cheio de frio o Afonso da Tapadinha. Na 4ª foto creio que o Caria em primeiro plano.
Já passaram quase 30 anos. Onde andam todos estes amigos ? Seria fantástico poder juntá-los aqui neste espaço. Aos que porventura, passarem por aqui e reconheçam estes amigos, não exitem em deixar aqui os seus nomes e se puderem, comunicar-lhes que existe este espaço, aberto a todos e á espera de todos os que são Ex.Alunos da Escola Secundária do Marco Canaveses. Deixo aqui uma sugestão, porque não convidar os que foram professores e que certamente têm muito para contar. Fico na expectativa de que mais gente venha a este blog ... Ao Coutinho Ribeiro, o desafio de que exorcise de uma vez por todas, essa "alergia" a este espaço. O criador nunca renega o fruto da sua criação.
Como diria o poeta : "Venham mais três..." e outros mais.
Um abraço

sexta-feira, outubro 05, 2007

AINDA NÃO SUCUMBIU...



Meus caros amigos, parece que ainda há alguns resistentes que teimam em manter vivo este espaço. É o meu caso, que apesar de não ter sido "um dos pioneiros" tenho tentado que a "chama" não se apague, por considerar este projecto iniciado pelo Coutinho Ribeiro (que o deixou "orfão"), um ponto de encontro, um ponto de união, uma forma de recordar o tempo que já não volta. Uma ou outra vez por cá vão passando alguns dos "ex:combatentes" da ESMC, mas muito esporádicamente...
Mas, parece que a Graça encontrou no seu baú de memórias, algo que pode dar um novo fôlego a este blog. E porque uma imagem vale mais que mil palavras, estas fotos que acho FANTÁSTICAS e que o tempo não apagou, certamente que farão com que muitos daqueles que viveram estes tempos, sintam uma certa nostalgia, que os levará a viajar no tempo e recordar muitas outras "imagens" e "histórias" que fazem parte da nossa vida comum naquela Escola.
Escola, que foi a casa de todos nós e de muitos outros que permanecem no silêncio e que eu muito gostaria de ver por aqui. Quem sabe, cara Graça, tenhas encontrado o "poção mágica" para reanimar este "moribundo" blog, que teimamos em manter vivo nem que seja á custa de apelos saudosistas aos mais renitentes ou aos que sucumbiram na caminhada, como o Coutinho Ribeiro e o Zé Carlos.
Dizia-me a Graça, no mail em que me enviou estas fotos :
-"Tenho poucas fotos e a qualidade é fraca, mas se todos contribuírem com 2 ou 3 já seria interessante e estou certa que o blogue iria animar".
Meus caros, a Graça tem razão, 2 ou 3 fotos que andem perdidas lá pelos baús do tempo, poderão ser uma forma salutar de animar isto. A qualidade não é importante, mas sim o seu conteúdo que é notável, senão reparem nas poses e na coreografia deste bailado. Bons tempos meus amigos, bons tempos...
Segundo a Graça, na 1ª foto denominada "jardim" podemos ver: Mila, Graça, Júlia, Ilda, Almir, Isabel, Manela e Manuel Vieira. Sinceramente, só o Almir reconheci de imediato.Na 2ª foto denominada "dançando" podemos ver ainda: Natália, Coelho, Belarmino, Manuela Monforte e Queirós. Tal como a Graça, gostaria muito de os ver por cá. Apareçam no blogue!Aproveito para lançar mais uma vez o desafio, agora que se vai realizar mais um jantar dos "Antigos Alunos", divulguem, peçam e-mails, façam-me chegar fotos...façam qualquer coisa, mas não deixem de aparecer aqui.
Um abraço

quarta-feira, outubro 03, 2007

jantar anual 2

Está na hora de começar a fazer as inscrições para o jantar.
A ementa será divulgada oportunamente.
O jantar é no dia 20 de Outubro, no restaurante Plátano.
A concentração será a partir das 18 horas, para se ir pondo a escrita em dia e actualização de contactos.
As inscrições terminam no dia 17 de Outubro.
O jantar fica por 25€.
As inscrições podem ser feitas para:
960 083 910, 919 591 068 ou antigosalunosdomarco@gmail.com

sábado, setembro 29, 2007

jantar anual

O jantar anual, como é hábito, está marcado para dia 20 de outubro, no restaurante Plátano.
Brevemente serão dados pormenores, assim como contactos.
Até lá vão divulgando, e dizendo alguma coisa.

sábado, setembro 15, 2007

APELO Á VOSSA RAIZ ESTUDANTIL...

Meus caros amigos, foi em 5 Julho 2007, que pela última vez alguém (neste caso a Margarida) colocou um post neste blog. Permitam-me que mostre a minha desilusão por tão fraca participação num espaço que tinha tudo para dar certo. Muitas pessoas, pois foram já largos milhares os "ex-alunos" e muita matéria prima intelectual.
Continua este blog, que se pretendia que fosse um espaço de partilha de vivências, recordações boas e más, opiniões, sugestões, contradiçoes.... tal como creio eu, Coutinho Ribeiro e outros que o iniciaram, tinham como objectivo. Morreu ? Não acredito e creio que deste estado de coma induzido, ainda sairá muita vida, para partilhar. Apelo aos que estão que continuem a participar e que espalhem a noticia de que este blog não morreu. Por mim, continuo a lutar para que não desliguem "as máquinas" a este moribundo.
Vamos lá meus amigos, saiam dessa letargia em que se rebolam e dêm um pouco de cor a este espaço. Apelo a quem tem fotografias do tempo em que andou nesta escola, que as coloquem neste blog e assim partilhem "a saudade" que a todos nos liga. Caso ñão consigam, enviem-mas para o meu mail eu as colocarei com o nome do autor e com o titulo que lhe der. Conto mais uma vez com a vossa ajuda e sei que não vamos deixar morrer o que nunca devia ter adoecido.
Um abraço

quinta-feira, julho 05, 2007

Como nós éramos!!!!!


Quem é que me ajuda a identificar as pessoas? Nomes, nomes, nomes.....

domingo, julho 01, 2007

PEELING's E ...BLOG'S MALOGRADOS

Minha cara Margarida, ás vezes é necessário dar um safanão nas coisas para que elas se mexam. Apesar dos contratempos que o dito "peeling" possa ter causado, pelo menos penso eu, tornou o blog mais colorido e assim, mais atractivo (pensava eu)...
Mas com boa vontade e mesmo sem o Inglês do nosso "primeiro", chegaste lá e todos chegarão, se tiverem vontade de manter vivo este blog, que considero como o nosso caro Armando (que não conheço, penso eu) dizia, pode ser a forma de sabermos que estamos vivos. E acreditem alguns dos que por lá passaram, já não estão neste mundo para ler o que aqui se vai escrevendo (pouco)...
Não desistas Margarida, que eu continuarei a tentar que este espaço não morra, apesar de o nosso caro amigo Coutinho Ribeiro, fundador deste blog, mas que cedo o abandonou, o considerar noutro espaço onde vai dissertando tal como eu (Terra Mata e Queima), como o "malogrado Idade da Inocência"...
Ora, ora caro Quim Manel, nem parece teu, desistir tão facilmente... mas malogrado é forte demais...malogrados são aqueles que "desaparecem de cena" ás primeiras dificuldades. E mais não digo...

quinta-feira, junho 28, 2007

"Peelings"


A alteração efectuada ao Blog foi do caraças...um autêntico peeling, mas complicou a vida às pessoas menos treinadas nestas matérias, pois obrigou à alteração de password, usernames, e outras coisas em Inglês, complicadas para quem não obteve aprovação no Inglês técnico, com o brilhantismo do nosso Primeiro.

quarta-feira, junho 20, 2007

VAMOS A ACORDAR

Depois da cirurgia estética, a que submeti este blog, acreditei que aconteceria uma atracção fatal. Puro engano meus caros. Os "motores" desta iniciativa apagaram-se e a debandada foi geral. Não é Quim Manel e Zé Carlos ? Quem sabe minha cara Margarida (que julgo não conhecer), esse repasto fosse o tiro de partida, mais um, para uma ressuscitação de boas intenções que presidiram a este blog. Será que alguém vai ouvir-me ? Helloooooo... estou aqui a falar para o boneco ?
Vá lá. Vamos reanimar e refazer a história, com histórias da Escola Secundária do nosso tempo e porque não deste tempo.
Um abraço a todos.

terça-feira, junho 19, 2007

ESTÁ TUDO PREGUIÇOSO

Estava eu convencida que iria ter oportunidade de me encontrar com os colegas de Liceu que já não vejo há anos e eis que reparo que o tão falado jantar ficou sem efeito.
Tenho pena, pois gostaria de ver como está o pessoal e recordar velhos tempos.

Quem é que dá o primeiro passo?

domingo, abril 29, 2007

ATITUDE NA VIDA...

O João era o tipo de homem que qualquer pessoa gostaria de conhecer:
Estava sempre de bom humor e tinha sempre qualquer coisa de positivo para dizer. Se alguém lhe perguntasse como ele estava, a resposta seria logo:
-Cada dia melhor ... !!!
Era um gerente especial, os empregados seguiam-no de restaurante em restaurante, só por causa da sua atitude. Era um motivador nato: se um colaborador tinha um dia mau, o João dizia-lhe sempre para ver o lado positivo da situação.
Fiquei tão curioso com o seu estilo de vida. que um dia lhe perguntei:
-João, como podes ser uma pessoa tão positiva o tempo todo? Como é que consegues isso? Respondeu-me :
-Cada manhã, ao acordar, digo para mim mesmo: -João, hoje tens duas escolhas, podes ficar de bom humor ou de mau humor, e escolho ficar de bom humor. Cada vez que algo de mau acontece, posso escolher fazer-me de vítima ou aprender alguma coisa com o ocorrido: escolho aprender algo. Sempre que alguém reclama, posso escolher aceitar a reclamação ou mostrar o lado positivo da vida.
-Certo, mas não é fácil - argumentei.
-É fácil, disse-me o João. A vida é feita de escolhas. Quando examinas as coisas a fundo, há sempre uma escolha. E cabe-te escolher como reagir às situações : escolhes como as pessoas afectarão o teu humor. É tua a escolha de como viver a tua vida.
Nunca mais me esqueci do que o João me disse, e lembrava-me sempre dele quando fazia uma escolha. Anos mais tarde soube que o João cometera um erro, deixando pela manhã a porta de serviço aberta, e foi surpreendido por assaltantes. Dominado, enquanto tentava abrir o cofre, a mão, tremendo com o nervosismo, desfez a combinação do segredo. Os ladrões entraram em pânico, dispararam e atingiram-no. Por sorte, foi encontrado a tempo de ser socorrido e levado para um hospital.
Depois de 18 horas de cirurgia e semanas de tratamento intensivo, teve alta, ainda com fragmentos de balas alojadas no corpo.
Encontrei-o mais ou menos por acaso passados uns dias, e quando lhe perguntei como estava, logo me respondeu com o seu habitual ar bem disposto:
-Óptimo, se melhorar estraga !!
Contou-me o que havia acontecido, e perguntou se eu queria ver as suas cicatrizes. Eu recusei-me a ver seus ferimentos, mas perguntei-lhe o que lhe havia passado pela mente na ocasião do assalto.
-A primeira coisa que pensei foi que devia ter trancado a porta das traseiras, respondeu. Então, deitado no chão, ensanguentado, lembrei-me que tinha duas escolhas: poderia viver ou morrer. Escolhi viver !!
-Não tiveste medo? perguntei.
-Olha, os paramédicos foram óptimos, diziam-me que tudo ia dar certo e que eu ia ficar bom. Mas quando cheguei à sala de emergência e vi a expressão dos médicos e enfermeiras, fiquei apavorado: nas expressões deles lia claramente: Esse aí já era ... Decidi então que tinha que fazer algo.
-E o que fizeste ?? perguntei.
-Bem, havia uma enfermeira que fazia muitas perguntas. Perguntou-me se eu era alérgico a alguma coisa. Eu respondi: Sim. Todos pararam para ouvir a minha resposta. Tomei fôlego e gritei: Sou alérgico a balas !! Entre a risota geral, disse-lhes: Eu escolho viver, operem-me como um ser vivo, não como um morto !!
O João sobreviveu graças à persistência dos médicos, mas, também graças à sua atitude. Aprendi que todos os dias temos a opção de viver plenamente e tomar decisões, pois serão atitudes que trarão benefícios agora e para a eternidade.
Afinal de contas, A ATITUDE É TUDO ...

Espero mais ATITUDE...porque o mutismo pode representar medo, cinismo ou apatia !!!!

terça-feira, abril 24, 2007

A MUDANÇA...

De facto, caro Quim Manel, havia que fazer qualquer coisa por este quase moribundo blog. Apenas a MJT tem tentado a todo o custo reanimar este nosso espaço, mas nem sinais de "vida"...
A cosmética já não escondia a palidez deste espaço que criaste (mas que abandonaste, com razões certamente). Pensei fazer-lhe um "peeling" mas percebi que as rugas já eram profundas e indisfarçaveis...então a solução que me ocorreu foi fazer mesmo uma "cirurgia estética" com alguns implantes de silicone e aí está uma nova imagem, para ver se esta "nossa gente atrevida" regressa ao nosso convivio, nem que seja para nos ir dando conta dos "peelings" que por aí se vão fazendo...
Um abraço Quim Manel, volta que estás perdoado, até porque sou um leitor assiduo do "O Anónimo" - Parabéns.

sábado, abril 21, 2007

DEIXEM-ME PLAGIAR QUE VALE A PENA...."AMIGOS"

Um dia a maioria de nós irá separar-se.
Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, das descobertas que
fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos.
Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas dos finais
de semana, dos finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a sua vida.
Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe...nas cartas que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices...
Aí, os dias vão passar, meses...anos... até este contacto se tornar cada vez mais raro.
Vamo-nos perder no tempo....
Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e perguntarão:
"Quem são aquelas pessoas?"
Diremos...que eram nossos amigos e...... isso vai doer tanto!
-"Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da minha vida!"
A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente......
Quando o nosso grupo estiver incompleto...
reunir-nos-emos para um último adeus de um amigo.
E, entre lágrima abraçar-nos-emos.
Então faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante.
Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida, isolada do passado.
E perder-nos-emos no tempo.....
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades....
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus
amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

Fernando Pessoa

EU ESTAVA LÁ...

Caro Xavier, não consigo ligar o teu nome á imagem, mas se estiveste na ESMC em finais da década de 70, inicio de 80, eu estava lá... entrei em 72, saí em 80.
Nessa época Soalhães estava muito bem representado... digo eu!!!!
Um abraço

DE NOVO EM CENA

Olhem só, o José Carlos Pereira deu de novo sinais de vida.
Meu caro amigo e primo, um charuto ao teu regresso. Afinal MJT vale a pena a gente lançar aqui uns reptos que eles vão regressando. Agora é só ACREDITAR que o Quim Manel volta e não escreve só naquele Blog "chatérrimo"... (todos sabem qual).
Um abraço

quinta-feira, abril 12, 2007

A IDADE DA INOCÊNCIA

...NÃO PODER LITERAR.....

Perco de literar,
por não me apetecer fumar um cigarro!...
Não sei poetizar sem fumar!
Seria a melhor e mais bonita de todas as poesias...!
Assim, deixo citada esta frase destrutiva:
"Perco de literar...por não fumar!!!..."

do livro, AUTOPSICOGRAFIA
EM
NOSTALGIAS DA VIDA

de xavier ferraz

minha querida amiga mjt, ainda bem que escolheste o melhor caminho...a vida!
Eu também fui escravo DISSO durante muitos anos...
deixei há 20 (vinte)!
Estou a falar do cigarro, é claro!
Já agora, não sabia que a L gostava tanto de bolachas!... (em OF)

até já

Em temto:
Um abraço a todos os alunos da E.S.M.C., nomeadamente aos do final da década de 70 e princípio da de 80, (o meu tempo).
Também um agradecimento especial ao JCP pelo convite que me enviou.
Não me recordo bem de ti, mas se estiveste LÁ naquela altura...tens que ser dos bons,
um abraço

segunda-feira, abril 09, 2007

UM CIGARRO A DIVIDIR POR TRÊS

Um cigarro a dividir por três, uma enorme tossiqueira e a M entre o terraço e a cozinha, não fosse a mãe chegar mais cedo. Dez tostões para comprar uns 4 cigarrinhos avulso! SG filtro ou SG ventil. Em poucas residências se viam cravos mas já tinha acontecido a revolução – a de Abril! Um dia meti um cigarro na gaveta dos panos da loiça da cozinha e incitei a minha mãe à experiência. Estúpida forma de deitar um cigarro ao lixo. O ideal era fumar junto do fontanário, em círculo e à espera que se ouvisse o toque da campainha para a aula seguinte ou então e em dias de sol lá se ia em romaria para junto do rio. Lá era mais sossegado e dava para falar de amores. Molhávamos o filtro e aparecia o nome do amado. Andei às voltas com um malogrado Z. Um dia sonhei com o Zorro e percebi que o meu subconsciente me tinha traído. Para além da bolsa dos lápis, do lenço e do penso higiénico passou a existir na minha bolsa um tubo com pasta de dentes Colgate para mastigar no caminho para casa. À noite mais um cigarrinho à janela do quarto. Às vezes a L ia dormir lá a casa e ficávamos a fumar e a comer biscoitos sortidos até às tantas… O mesmo já se havia repetido durante a tarde. O importante era a nota 10 para passar. Já estava calor, não trazia meias e a bata dava até ao joelho. Escrevi nas pernas quase toda a matéria de ciências. Troquei a disciplina de inglês por Latim e aprendi a frase: António aleijou a Maria com a bola (e que aqui não traduzo porque parece asneira, mas não é – é a culpa do António que magoou a Maria).
Tirando os meus santinhos, tenho um caderno de capa vermelha que guardo religiosamente (o famoso diário da praxe!). Numa das páginas está escrito um poema no dia em que fiz 16 anos, a um amigo que na altura não tinha percing nem fazia tatuagens mas podia ser feito de barbas de milho: O cigarro. Por favor não se escandalizem com os vossos filhos, “quando tasse bue” ou no lugar de uma gargalhada vem um lol!
A idade aumentou a par com o número de cigarros. Deixei de fumar durante a gravidez mas o vício voltava. Para além da pasta dentífrica o pediatra aconselhava a dar aos meus filhos comprimidos de flúor. Continuei muito fidedigna à minha condição de ser humano! Às vezes queria deixar de fumar outras não. Depois começou a ser muitas vezes não e dizia a mim própria que “aquele” era o último cigarro. Fumava-o com o maior prazer porque era o último. Às vezes até eram 2 ou três seguidos – porque era o último. Por fim metia debaixo da torneira o maço de tabaco quase cheio e respirava de alívio. Mal acordava ia ao caixote do lixo: não vá algum ter escapado à água corrente da noite anterior. Estavam todos húmidos e com um ar acastanhado. Vinha-me à ideia o mendigo de barbas ao cimo da rua 31 de Janeiro a dormir ao lado de uma lata de atum colocada sobre uma caixa de cartão, convencido que tinha a seu lado um candeeiro sobre uma mesa-de-cabeceira.
O pior de tudo é que começava a irritar-me com os discursos de mãe (mal comportada), das frases “olha para o que eu faço, não olhes para o que eu digo”. Que me perdoem os padres e os médicos e os homens das leis e etc etc… que ia dando como exemplo. Tentava convencê-los da falta de informação quando tinha a idade deles mas na altura fumar um cigarro era como beber uma “laranjada”. Não se escrevia na embalagem que causava impotência ou… Estava a ser cada vez mais ridícula! Felizmente estava a educar jovens mais inteligentes e as palmadinhas nas costas misturadas com “cota” é trinta vezes pior que a macilenta pasta dentífrica!

(…) eu não tinha os dedos amarelos, nem tossia ao levantar. O médico cheirava imenso a tabaco e perguntou-me quantos cigarros fumava por dia. Zanguei-me comigo própria. Proibi-me de voltar a pegar num cigarro. No início parecia que estava num outro país e que o meu corpo não era meu corpo. Não fazia sentido quase nada, porque:
Lê-se um livro com um cigarro na mão /Escreve-se no computador com um cigarro na mão / Se estamos felizes temos um cigarro na mão /Se ficamos tristes ficamos com um cigarro na mão/ E quando não fazemos nada temos um cigarro na mão/ Pensamos com um cigarro na mão/ e o etc. de todos os cigarros que se prendem entre os dois dedos de uma mão…


E porque desde há dois anos que não fumo, resolvi premiar a(s) minha(s) mãos com um creme diário Neutrogena e uma ida semanal à manicura . um verniz claro e discreto, mas o meu coração agradece!

sábado, abril 07, 2007

É CURIOSO...

É curioso... há muitos anos atrás quando eu era “estudante”, sonhava com o final do ano lectivo para finalmente iniciar umas merecidas férias de descanso. Último dia, a certeza de me ver livre dos professores e a alegria que isso implicava. Um último olhar para trás á saída dos portões da Escola Secundária e lá no fundo, já a nostalgia dos amigos que ficavam.Curioso... Muitos anos depois a mesma nostalgia ao reler comentários neste blog. Foram anos que voaram no tempo; foram amigos que se perderam de vista, mas não da memória; foram histórias hilariantes que ficaram; foram, foram, foram, foram…Curioso... Passado todo este tempo, olhar para trás significa de novo nostalgia, sensação de perda, sentimentos confusos, como os daquele adolescente que olhava para trás no portão da Escola Secundária no final de mais um ano – é que as pessoas entram na nossa vida por acaso, mas jamais será por acaso que elas permanecem no tempo.Curioso... olhando para trás, a única certeza que permanece é que daqui a vinte anos estarei mais desapontado com as coisas que deixei de fazer (tal como agora), do que com os erros que cometi...Dizia Katherine Hepburn : “Se você obedece a todas as regras, acaba perdendo toda a diversão”Curioso… tentei ser fiel a este pensamento muito bem acompanhado por muitos de vocês e outros que virão a este espaço, e surtiu efeito – divertimo-nos.Acredito que os professores não perceberam que o nosso desespero não estava tanto nas pontuações que nos deram, mas mais no sofrimento de “suportá-los”, porque como dizia Mahatma Gandhi, “A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido. Não na vitória própriamente dita” e creio eu, nenhum de nós ( salvo alguma excepção ) encarnou o espirito de competição – vitória ou derrota... outros tempos !!!!Curioso… passado este tempo, é tempo de nos darmos conta que já passaram muitos anos e que as nossas vidas divergiram e diversificaram. Da nostalgia das recordações, façamos o objectivo do reencontro num qualquer lugar deste planeta (ou mesmo neste blog), com a mesma alegria, o mesmo gosto de se estar entre amigos que se reencontram, o mesmo sorriso e traquinice, mas acima de tudo com a mesma vontade de se ser feliz.Caros amigos, mantenham-se simples, sérios, apaixonados, vigorosos em todas as vossas atitudes. Lutem para viver porque a vida é curta, mas sempre com esta vontade indómita de serem felizes, frontais, justos e acima de tudo levarem a vida como ela merece ser vivida – com alegria.Façam o favor de serem felizes, que eu vou tentando...É curioso…

Ainda Acredito

Ainda acredito...
Contrariamente ao meu amigo Zé Carlos, eu vou espreitando e ainda ACREDITO...
Acredito que este Blog não vai morrer; acredito que mais gente vai "postar"....e aposto que até o Quim Manel vai voltar, apesar de ter desaparecido sem deixar rasto (até da lista aqui ao lado dos Blogger's).
Acredito que há muitas histórias para contar, de outros tempos... e histórias para revisitar, quiça até desvendar segredos que o tempo ainda não apagou.
Acrdeito que vamos fazer deste Blog um ponto de encontro e acima de tudo uma forma de reavivar a memória, e retirar lá do fundo do "sotão" algumas histórias que nem o tempo apagará.
Acredito que virão aqui professores desse tempo, para contarem as "nossas histórias"... e nós contaremos as deles... para alguns serã já certamente um tributo á sua memória.
Sinceramente acredito... E tu caro Zé Carlos ? E porque não também tu Quim manel ?
Em 13 Junho 2006, escrevi aqui pela primeira vez, um texto que me fez reviver...
Hoje vou "repescá-lo" para ver se a imagem que tentei transmitir na altura, provoca um ataque de "escrita" e transformamos de uma vez por todas este blog, num album de recordações...
Vamos lá meninos á(s) história(s)....
Uma dica : Falemos Francês (paché compojé) - lembram-se ?

domingo, abril 01, 2007

Como de Súbito na Vida

Como de súbito na vida tudo cansa!
e cansa-nos a vida e nos cansamos dela,
ou ela é quem se cansa de nós mesmos,
na teima de existir e desejar?
Porque, neste cansaço, não o que não tivemos,
ou que perdemos, ou nos foi negado,
o que de que se cansa, mas também
o quanto temos, nos ama, se nos dá
a até os simples gozos de estar vivo.
Um dia é como se uma corda se quebrara,
ou como se acabara de gastar-se,
que nos prendia a tudo e tudo a nós.
Não é que as coisas percam importância,
as pessoas se afastem, se recusem,
ou nós nos recusemos. Não. É mais
ou menos que isto-se deseja igual
ao como até há pouco desejávamos.
É talvez mais. Mas sem valor algum.
O dia é noite, a noite é dia, a luz
se apaga ou se derrama sobre as coisas
mas elas deixam de ter forma e cor,
ou se sumir no espaço como forma oculta.
E o que sentimos é pior que quanto
dantes sentíamos nas horas ásperas
da fúria de não ter ou de ter tido.
Porque se sente o não sentir. Um tédio
Não como o tédio antigo. Nem vazio.
O não sentir. Que cansa como nada.
Até dizê-lo cansa. É inútil. Cansa.

Jorge de Sena

sexta-feira, março 30, 2007

Alguém falou em chuva?

Avizinha-se um fim de semana com chuva e muito frio. Óptimo para acender a lareira e escrever neste BLOG. Gostam da ideia?

maria joão t

um "pedacinho de heterónimo"

Vai tudo por “arrasto”, e foi o que sucedeu com este blog. Foram-se “perdendo” as pessoas e as ideias. Não sei muito bem porquê, porque esta coisa de estar sempre à espera dos outros é uma chatice. Somos todos crescidinhos e, se a idade não pesa ou ensinou alguma coisa, valha-nos Deus com um cantinho no Céu… ficaremos a olhar eternamente cá para baixo.
A determinada altura parei porque me aborreci. Agora estou aqui de novo - não sei se por muito tempo – mas estou aqui! E, se cada um de nós ficar num “vai e vem”, podemos ter um jogo bastante divertido!
Há uma coisa que a vida me ensinou (só uma!) – e vou transcrever a célebre frase que todos compreendem e defendem e blá blá…. “Vamos passar das palavras à acção”. Vamos deixar de ser maus políticos para sermos bons cidadãos. As “Tertúlias” podem regressar ou ser de novo semeadas – aqui/aí – em Marco – ou em qualquer lado. Individualmente cada um pode contribuir com o seu conhecimento, a essa/esta nossa terra. Sei que há muita gente que o faz. Preocupa-me se não houver de facto uma mudança no pensamento que determina mil atitudes muitas das vezes egoístas. O Marco é uma entre várias cidades onde as escolhas se fazem com meras preocupações de aparato. Nós temos um país com muitos doutores (que prezo!) – mas para quem a cultura é escassa. E tal como dizia o nosso Garrett – “ A cultura de um povo começa nas escolas”. E esta frase torna-se “um clássico”, tal como o Benfica – Porto” / e não gosto da comparação!

… Vamos colocar um pouco de nós num crescendo de princípios onde o individual se torna num todo. Já trabalhei durante algum tempo aí no Marco com um grupo de jovens e apresentámos às escolas alguns trabalhos. Alguém se lembra de O Principezinho? Neste momento, por questões profissionais, não consigo disponibilizar-me para dar continuidade a esse trabalho. Mas tenho a certeza que um dia voltarei. De qualquer forma, mesmo um pouco à distância, incentivo e dou todo o meu apoio a todos aqueles que têm vontade em perceber que, do Marco e para o Marco, há vários caminhos que se podem percorrer. Admiro as pessoas que gostam de se “presentear” com o novo. Pessoas que gostam de aprender a gostar…

Vou ficar por aqui. Não disse muito – mas ficou alguma coisa. Interrompi um pouco do meu trabalho para vos escrever. Hoje está um belo dia de sol que acompanho com Mozart.

Como presente de Primavera, deixo-vos este “pedacinho de heterónimo” que li ontem à noite:

(…)

“Acho tão natural que não se pense
Que me ponho a rir às vezes, sozinho,
Não sei bem de quê, mas é de qualquer cousa
Que tem que ver com haver gente que pensa….”
(…)

(Alberto Caeiro)

obs: há uma forma muito simples de dar andamento a este blog: partilhem as vossas ideias sobre o que eu disse.

um abraço
maria joão t